Arquivo

Archive for fevereiro \24\UTC 2010

Software Livre = Pirataria???

O Tio Sam está de olho...

Depois de um século, volto a postar aqui no TechnesBR.
Ainda bem que o objetivo dos “blogueiros” daqui não é alcançar altos níveis de popularidade, senão, seria difícil.
Bem, minhas férias já acabaram há praticamente um mês, estou de equipamento novo e é hora de voltar aos posts.

O assunto escolhido foi essa idéia bizarra de um grupo de americanos que está sugerindo ao governo americano que considere “código aberto”/software livre como um tipo de pirataria.
Nesse momento muitos leitores devem estar torcendo a cara e dizendo “Ahnnn??? Como assim?”. Pois é, eu fiz o mesmo.

A “IIPA” – The International Intellectual Property Alliance (Aliança Internacional de Propriedade Intelectual) um grupo guarda-chuva para associações americanas de publicidade, softwares, filmes, programas de televisão, solicitou à US Trade Representative (USTR) que considere países como Indonésia, Brasil e Índia como integrantes de sua lista de países digamos, suspeitos (Special 301 watchlist). O motivo? Por incentivarem o uso de Software Livre.

A tal lista examina a adequação e a eficácia dos direitos de propriedade intelectual em torno do planeta. Efetivamente, é uma lista de países que o governo americano considera como inimigos do capitalismo.

Era só o que faltava. Mais uma vez o governo americano em busca de dinheiro querendo obrigar a todos a seguir seus padrões.
É muito fácil defender o padrão de software proprietário com licenças a preço de banana, se comparados com os valores que pagamos aqui na terra da amazônia, onde o governo mete a mão e praticamente obriga os usuários finais a adotarem a pirataria como “solução”.

Anúncios

ODF – OpenDinamarca Format?!?!?!?

Primeiramente, gostaria de me desculpar pela ausência nos últimos dias, estive meio ocupado e não pude postar.

Mas voltando ao assunto. A Dinamarca, em decisão de seu parlamento, publicou se todos os Órgãos do governo devem trabalhar com o padrão aberto de documentos, engordando a  conta da ODF Aliance que atualmente conta com 18 países apoiadores.

Isso mostra como a força do padrão aberto e indica novos rumos para ele. Veremos como ele será tratado pelo OpenOffice (agora com a toda-poderosa Oracle), que já deu algumas dicas de como tratará o produto, inclusive citou um futura aplicação nas nuvens (a la Google Docs).

Outra coisa que deve ser levada em consideração foi o post do outro autor do blog sobre a criação de vagas de trabalho para OpenOffice na Micro$oft. Qual seria a estratégia deles (Oracle e Microsoft)? Não perca nos próximos capítulos.